quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

A velocidade mata!

Atualmente, parece possível fazer com que quase tudo vá mais rapidamente com alguma alterações menores, uma parte aqui, uma peça de código acolá, mas existem limites para o quanto você pode colocar em um sistema. O provérbio “a velocidade mata” cai como uma luva para nossos PCs. Quando a Intel e outros fabricantes planejaram e testaram muitos componentes em nossos sistemas, atribuíram a eles uma taxa de velocidade máxima confiável. Acima da velocidade máxima quase tudo pode acontecer, e geralmente não é bom.

A operação mais rápida significa que os componentes retiram mais corrente e com mais corrente vem mais calor. Você poderá não notar inicialmente o problema do calor, mas os componentes sim. Todas as resistências e capacitores dentro de um chip ou na placa do sistema poderão mudar de valor quando a temperatura se altera, o que poderá mudar a sincronização e os sinais. As funções dos pequenos dispositivos dentro dos chips poderão mudar o modo como funcionam, e a velocidade de algumas operações poderá variar muito.

Mesmo que o calor não afete imediatamente os componentes, poderá irradiar-se para as placas do circuito e contatos. O calor produz oxidação, faz com que os contatos fiquem sujos mais rapidamente. O calor também amolece as placas do circuito e as expande. Quando as placas se expandem e ficam flexíveis, os traços de cobre do circuito podem não acompanhá-las. Isso poderá causar interrupções microscópicas nos fios. Essas interrupções levam a mais aquecimento e, eventualmente, à falha do circuito.

O que estamos dizendo é que “calor mata”, mas há uma razão para o calor, e é fácil ver que ela está diretamente relacionada à velocidade.

Adicionar componentes mais rápidos ou aumentar a velocidade do clock da CPU não será bom se os componentes dentro de seu sistema ou as placas do circuito não estiverem avaliadas para as velocidades mais altas. Se você aumentar a velocidade do clock, tudo que sair desse clock terá que ser alterado também. Porém, não será bom ter chips avaliados para a operação de 200MHz se a placa do sistema não puder ser executada com segurança nessa velocidade.

A memória está entre os problemas mais suscetíveis da super velocidade. Os testes iniciais e a inicialização poderão não mostrar um problema, mas o uso real do sistema poderá.

Se você aumentar muito a velocidade do clock do chip de sua CPU, poderá criar muitos problemas diferentes, desde dados misturados na RAM, até erros graves do drive de disco. Outro sintoma é a impressora com caracteres que faltam, ou bloqueio porque a placa paralela está enviando os dados mais rapidamente do que a impressora pode aceitá-los. Redefinir o clock para a velocidade original resolverá esses problemas.


Voltar para a Página Principal

Um comentário:

  1. Ola, boa noite! possuo uma Tv Philips 29 - Smart Vision Mod Pt 552a. Bem a mesma estava funcionando normalmente e de forma abrupta a mesma parou de funcionar desligou geral. Somente quando liga no botao power ela emite um ruido no som, sem imagem. Se puder me ajudar te agradeço. Silvio Veras - silvio_veras@hotmail.com

    ResponderExcluir