terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Se tudo mais falhar...

Não suponha nada. Se não puder determinar facilmente a causa de um ou mais problemas, faça a si mesmo algumas perguntas básicas:
  • Qual foi a última coisa que foi feita no sistema?
  • O sistema estava apenas na loja?
  • Se estava, o que a loja fez no sistema?
  • Você mudou algo?
  • Novo software? A partir da web? Um amigo?
  • Novo hardware?
  • Configurações? Diretórios? Classificou ou moveu arquivos?
  • Alguém mais fez essas coisas?
  • Você pode restaurar parte ou todo o sistema a partir de backups?
Alguns produtos de software ainda empregam esquemas de proteção contra cópia que requerem inverter a instalação antes de mudar as configurações do drive, intercalação, formatos, partições, etc., mesmo que possam sofrer backup normalmente. Se você classificou os arquivos, compactou o drive, executou o SpinRite, speed Disk, VOPT ou outros utilitários de drive, poderá ter causado um problema de arquivo.
Se introduziu algo sem saber em seu sistema, ou se um dos seguintes eventos ocorreu, poderá suspeitar de um programa incompatível, configuração ou vírus:
  • Perda de força?
  • Alterações do sistema de telefone (se você tem um modem, correio de voz ou uma placa de fax)?
  • Alterações do mainframe ou da rede (provavelmente do cabeamento)?
  • Tempestade?
  • Falha do equipamento maior ou do ar condicionado?
  • Alguém mais usou seu sistema?
  • Alguém teve acesso a ele seu conhecimento?

Nota
Os eventos externos podem causar impacto e todos os tipos de problemas em seu sistema. O próprio evento poderá não indicar diretamente o arquivo defeituoso ou a parte do hardware, mas você poderá ser capaz de ter o dano coberto pelo seguro ou outros meios, se houver uma correlação significativa.


Se alguém usou seu sistema e decidiu reorganizar as coisas, você terá que restaurar as configurações do sistema. Se alguém estava copiando o último relatório que você submeteu, ou apenas quis formatar um disquete, é possível que um vírus tenha sido introduzido – sim, mesmo a partir da simples execução do comando DIR em um disquete infectado.

Voltar para a Página Principal

Nenhum comentário:

Postar um comentário