quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

A causa do PC bem descansado mas não inicialializável

Se você desligou seu PC apenas há alguns dias e tudo estava funcionando muito bem, é difícil imaginar que não funcionaria novamente apenas virando a chave de ligar. Felizmente, o problema não é tão importante e pode se lidar bem facilmente com ele.

Se você normalmente opera seu PC horas por dia, sempre deixa-o ligado, ou faz operações estendidas do utilitário do drive de disco depois do uso estendido de seu PC, quando as coisas ficam realmente quentes, as lâminas do disco poderam ter se expandido devido ao aquecimento e a força centrífuga do giro constante. Posteriormente, depois do sistema estar resfriado, seu PC poderá parecer ter um drive de disco ruim. Então, depois de experimentar programas utilitários ou reinicializações e o ciclo de força por algum tempo, 30 a 60 minutos, depois das coisas esquentarem denovo, o drive poderá de repente parecer que voltou à vida. Você poderá nunca saber exatamente o que causou eu consertou o problema.

Sob essas condições, as trilhas, os setores e os arquivos são gravados na forma expandida termicamente das lâminas. Se isto ocorrer durante horas ou dias, deixar o sistema desativado por várias horas ou dias permitirá a contração das lâminas, e as trilhas e setores poderão se mover em relação ao posicionador de cabeçote. Ao reiniciar o sistema, os dados marginais ou danificados serão lidos, levando a uma condição de erro ou de não inicialização.
Isso poderá ser mais que um problema com com os drives mais antigos que têm os cabeçotes posicionados mecânica e opticamente, em vez daqueles com uma trilha auxiliar vinculada ao disco que segue a expansão e a contração das lâminas. Esses cabeçotes encontram as devidas marcações dos cilindros e setores, não importanto qual a condição do disco.

A segunda teoria segue a mesma linha da primeira, mas se preocupa com o condicionamento dos componentes eletrônicos no sistema, as placas complementares, drives, e mais. Afeta mais provavemente as partes análogas do sistema, colocando ênfase na eletrônica do drive de disco, nas partes da placa de vídeo e no monitor. O resto do sistema é digital, e é geralmente mais tolerante aos estados de ligado e desligado dos dispositivos lógicos.

Dentro do drive, os cabeçotes e a eletrônica que lêem e gravam aplicam forças magnéticas, e interpretam essas forças a partir da superfície do disco. Dentro de tolerâncias específicas, uma certa quantidade de força magnética representa um estado de dados e outra, maior ou menor, representa outro estado de dados. Se a capacidade dessas forças mudar entre as condições de quente e frio, o drive poderá parecer que tem dados ruins ou ausentes.

Em uma proporção menor, as mesmas condições poderam ser verdadeiras para as partes digitais (on/off ou ativado/desativado) do sistema. Com as velocidades do sistema correndo no limite dos melhores designs de tecnologia, as tolerâncias e os limites físicos são levados a seus limites. Quando você se considera os bilhões de coisas que ocorrem a cada segundo dentro de um PC, é surpreendente que poucas coisas dêem errado em um período de meses ou anos.

A solução é deixar o drive (e todo o sistema) se aquecer por 30 a 60 minutos e tentar denovo. Por mais improvável que possa parecer que problema seja tão simples, aconteceu com algumas pessoas que conhecemos, inclusive com nós mesmos.


Voltar para a Página Principal

Nenhum comentário:

Postar um comentário