sexta-feira, 27 de junho de 2008

PARA QUE SERVE O ALTO-FALANTE? Parte 5

5. TIPOS DE MATERIAIS UTILIZADOS NOS ALTO-FALANTES:
Como já citamos, para escolher um alto-falante é necessário primeiramente saber em qual aplicação ele será utilizado. Isso também vale para que tipo de material devemos ter nos componentes. O que é melhor para baixas freqüências: suspensão de celulose ou borracha?
Veremos agora quais são os tipos de materiais mais utilizados nos componentes do falante e quais os indicados para as diversas aplicações.

5.1 Materiais da Suspensão:
Os materiais da suspensão (ou borda) mais utilizados são:
• Celulose: indicado para falantes de médias freqüências. Como é um material mais rígido, a excursão do cone é menor e, portanto não permite uma boa reprodução de grave. Também não é indicado para falantes de alta potência, pois não é um material muito resistente.
• Tecido: indicado para falantes de médias e baixas freqüências. É um material menos rígido que a celulose e de maior durabilidade. Indicado para falantes de alta potência.
• Borracha e espuma: Materiais mais flexíveis, indicados para falantes com alta excursão de bobina móvel. Ideal para baixas freqüências (subwoofers).
Geralmente a borracha possui maior estabilidade mecânica.

5.2 Materiais do Cone:
Os materiais do cone mais utilizados são:
• Papel: material mais utilizado em alto-falantes profissionais. Possui alto amortecimento interno que diminui os vales e picos da curva de resposta do alto-falante. Pouco resistente às intempéries.
• Polipropileno (PP): material plástico mais utilizado no som automotivo. Possui alta resistência a intempéries e visual mais atrativo. Porém, se for mal projetado, pode ter uma curva de resposta de qualidade inferior.
• Kevlar® e outros materiais: geralmente estes materiais sofisticados são utilizados para dar maior durabilidade ao cone, porém com uma curva de resposta mais adequada.

5.3 Materiais do Diafragma:
Os materiais do diafragma mais utilizados são:
• Fenólico: é um tecido com resina fenólica. Mais utilizado para drivers de média freqüência e baixo custo.
• Titânio: material metálico. Mais leve, permite aumentar a sensibilidade do driver, além de estender a resposta em altas freqüências. Porém, possui timbre diferente do diafragma fenólico.
• Alumínio, Berílio, ligas: materiais metálicos que possuem características parecidas com o titânio.

5.4 Materiais da carcaça:
Os materiais da carcaça mais utilizados são:
• Chapa metálica: material resistente e barato. Utilizado na maioria dos falantes.
• Alumínio: material com maior resistência mecânica que a chapa, porém bem mais caro. Utilizado em falantes profissionais de maior potência.
• Plástico: material com menor resistência mecânica, porém mais leve e mais barato. Material mais utilizado em som automotivo.

5.5 Materiais da bobina:
Os materiais do corpo da bobina mais utilizados são:
• Papel: sem resistência a temperatura. Utilizado em falantes de baixa potência. A grande vantagem é o custo.
• Alumínio: tem boa dissipação de calor, mas pode dilatar com a temperatura, deformando a bobina. Material barato, mas indicado para falantes de baixa potência.
• Kapton® (filme de poliimida): excelente estabilidade térmica. Ideal para falantes de alta potência, porém é uma material mais caro.
• Nomex®, fibra de vidro, etc: são da mesma linha do Kapton®. São materiais mais resistentes, porém de alto custo.
Os materiais do enrolamento da bobina mais utilizados são:
• Cobre: é o mais utilizado. Material de menor resistência elétrica e mais barato.
• Alumínio: material mais leve que o cobre, permitindo aumentar a sensibilidade do alto-falante e sua resposta em alta freqüência. Porém, é um material muito difícil de soldar e de maior resistência elétrica.
• Alumínio coberto de cobre: a cobertura de cobre facilita a soldagem. É mais utilizado que o alumínio puro.

5.6 Materiais do Imã:
Os materiais do imã mais utilizados são:
• Ferrite de Bário: é o material mais utilizado. É mais barato, porém sua remanência (quanto maior a remanência maior será o campo magnético proporcionado pelo imã) é baixa.

• Neodímio-Ferro-Boro: possui uma remanência 3 vezes maior que o ferrite. Isso faz com que para se obter um determinado campo no gap, o volume do imã de neodímio pode ser bem menor que o de ferrite. Por isso os alto-falantes que utilizam este imã possuem um circuito magnético bem menor: o imã geralmente é uma pastilha, colocada na posição do entre-ferro. Porém, o seu custo é muito elevado e ele perde rapidamente a magnetização quando submetido à alta temperatura.
• Samário-Cobalto e Alnico: são imãs de terras raras como o Neodímio e possuem características similares.


VOLTAR

Nenhum comentário:

Postar um comentário