quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Como testar diodos zener?

Os diodos zener são dispositivos semicondutores formados por uma única junção PN e que funcionam polarizados no sentido inverso. Na ruptura inversa, conforme mostra a figura 1, dentro de uma faixa de correntes eles mantêm constante a tensão em um circuito.


Os diodos zener são usados na regulagem de tensão ou como referência, podendo ser encontrados com diversas dissipações e para diversas tensões. Na figura 2 temos o símbolo e aspecto dos tipos mais comuns.

Na prática encontramos diodos com tensões que vão de 1,8 V a 150 V e dissipações que vão de 400 mW a mais de 10 W.

O que testar?

O teste básico de um diodo zener consiste em se verificar o estado de sua junção, mas este apenas detecta um componente que, com certeza, esteja aberto ou em curto. Inclusive em caso de dúvidas, o teste mais simples não acusa se é um diodo comum ou um diodo zener.

Um teste mais completo pode ser realizado para determinar a tensão zener, porém esse exige alguns arranjos adicionais como uma fonte de tensão. Essa tensão zener, e se o componente encontra-se em bom estado, podem ser verificados com a ajuda de um osciloscópio e o traçador de curvas. Nesse caso, o osciloscópio também é útil para identificar o componente e mostrar sua curva característica.

Instrumentos Usados

• Provador de continuidade
• Multímetro
• Fonte de alimentação e circuito de prova
• Osciloscópio e traçador de curvas

Para os leitores que usam muito os diodos zener, o circuito de prova pode ser mantido montado, consistindo em um excelente recurso para se determinar as características desse tipo de componente.

Lembramos que existem muitos diodos zener em que pela simples indicação do tipo não é possível saber qual é a sua tensão. É o caso dos diodos zener da série 1N.

A tabela ao lado pode facilitar bastante para os leitores que trabalham com esse tipo de componente: Diodos Zener – 1N.

Para os diodos da série BZX ou BZY, como o BZX76C5V1, o 5V1 indica que se trata de um diodo de 5,1 V.
Os Testes

1. Com o Provador de Continuidade e Multímetro

Trata-se da prova mais simples em que apenas verificamos o estado da junção. Ela apenas revela se o componente está aberto ou em curto. Nada podemos saber sobre sua tensão zener, dissipação ou outras características importantes.

Observamos também que ela só deve ser realizada com um provador de continuidade que tenha uma alimentação interna menor do que a tensão zener do diodo provado. Por exemplo, um provador de continuidade que aplique 6 V no componente em prova não serve para testar um diodo zener de 3,3 V.

a) Coloque o multímetro numa escala intermediária de resistências (ohms x 10 ou ohms x 100 se for analógico, ou 2000/20 000 ohms se for digital). Zere-o se for analógico. Se usar o provador de continuidade, coloque-o em condições de funcionamento.

b) Retire o diodo zener em teste do circuito (se esse for o caso) ou levante
um dos seus terminais (*).

c) Meça a resistência ou verifique a continuidade no sentido direto e no sentido inverso (teste e depois repita o teste invertendo as pontas de prova).

A figura 3 ilustra como realizar essa prova.

Obs.: Certifique-se de que o diodo zener pode suportar a corrente aplicada pelo provador de continuidade, principalmente se for tipo de dissipação muito baixa.

Interpretação da Prova

Exatamente como no caso de um diodo comum, deve ser lida uma baixa resistência ou continuidade quando na polarização direta. Na polarização inversa deve ser lida uma alta resistência.

Diodos com baixa resistência ou continuidade nas duas provas estão em curto. Diodos com alta resistência nas duas prova estão abertos. Uma resistência inversa entre 20 k ohms e 200 k ohms indica um diodo com fugas.

Observação:

Com o circuito ligado é possível medir a tensão zener nos terminais do diodo. Se ela for muito baixa ou acima do esperado, é sinal que o diodo se encontra com problemas.

Trata-se de uma prova “no circuito”, que deve ser feita com um multímetro na escala de tensões DC o qual deve ter uma elevada resistência de entrada (5 000 ohms/volts para maior confiabilidade). A figura 4 surgere como essa prova pode ser feita.


2. Com o Circuito de Prova

Para diodos zener até uns 30 V é possível fazer o teste de funcionamento, determinação da tensão zenere até mesmo definir sua polaridade com o circuito exibido na figura 5.


Para esse teste é preciso contar com um multímetro comum (analógico ou digital), o qual, colocado na escala de tensões DC, indicará a tensão zener.

Procedimento


Basta ligar o diodo zener em teste no local indicado e ler no multímetro a tensão zener. Para diodos zener com tensões maiores, pode ser usado um transformador de maior tensão, aumentando-se o resistor proporcionalmente tanto em valor ôhmico quanto em dissipação.

Interpretação da Prova

A tensão zener deve ser lida no multímetro, se o componente estiver em boas condições. Caso seja lida tensão nula o diodo encontra-se invertido. Se a tensão estiver muito acima do valor esperado (tensão zener), o componente acha-se aberto. Se a tensão lida for de aproximadamente 0,7 V, o diodo está invertido. Desinverta-o e faça nova leitura.

3. Usando o Osciloscópio

O osciloscópio também pode ser usado para se determinar as características de um diodo zener e verificar se ele está em condições de funcionamento. Na figura 5(a) vemos a curva do zener obtida com o traçador de curvas.

Note que o osciloscópio é ajustado na função de varredura externa ou A/B, B/A ou X/Y.

Procedimento:


a) Ajuste o osciloscópio para observar uma das formas de onda mostradas na figura 6.




b) Compare essas formas de onda com as ilustradas na figura. Temos as possíveis formas de sinal que devem ser vizualizadas e o que elas significam.

(A) Diodo zener bom (curva característica normal)

(B) Diodo com fuga

(C) Diodo aberto

(D) Diodo em curto

Observações: Diodos zener de altas potências podem exigir uma corrente mais intensa nos circuitos de prova. Nestes casos, os resistores de limitação de corrente usados devem ter seus valores ôhmicos reduzidos e suas dissipações aumentadas.

Devemos ressaltar também que a posição da imagem na tela pode variar conforme a função selecionada seja B/ A ou A/B. Conforme a tensão do zener, se for superior a 24 V, deve ser usado um transformador de maior tensão de secundário e resistores limitadores de corrente maiores.

*Artigo originalmente publicado na revista Saber Eletrônica







5 comentários:

  1. achei esse blog no goggle > http://www.instru-tech.blogspot.com
    Muito legal ele tbm

    ResponderExcluir
  2. Bem legal. Está bem explicadinho.
    Dá pra entender numa boa..

    =D

    Valew pelo post.

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Grande blog parceiro, veja isso http://www.openosaco.com/2011/07/como-trocar-o-chip-de-video-da-sua.html

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo Blog. Busco parcerias para meu site Supertech componentes eletrônicos, entre em contato supertech@supertech-comp.com.br Fico no aguardo !

    ResponderExcluir